Pular para o conteúdo principal

A culpa não é dos crentes

Não são poucas as vezes em que somos instigados a falar mal dos crentes, nossos irmãos de fé.

Querem que a gente diga que são manipulados, alienados. Que tornam pastores milionários.

Claro, ninguém vai negar que existem os pastores mercadores, que fazem da fé negócios espúrios, quase sempre atrelados a projetos políticos de valorização da morte, da desigualdade, da mentira e do engano.

Mas, os crentes – esses que somam cerca de 32% da população brasileira são – em maior parte, gente simples. Pobre. Em maioria mulheres negras. Muitas crianças. Gente que ganha pouco, que luta a batalha cotidiana pela sobrevivência.

É por isso que não falaremos mal. É gente que tem a cara do Brasil, desse país que impõe ao seu povo a convivência limite com a fome e com a morte, que desdenha de quem acorda cedo para fazer a vida dos bem-nascidos funcionar. Gente do campo, que garante a comida na mesa de quem pode comer.

Evangélicos apoiadores do Bolsonaro

Foto da Agência Brasil

Leia mais…

Não seria a hora do basta?

Mais uma manifestação contra o Bolsonaro está marcada e se aproxima, dia 2 de outubro.

E eu me pergunto: o que falta ainda para que as instituições brasileiras declarem o fim deste período de trevas e decidam pelo afastamento de Jair Messias Bolsonaro (se possível com Mourão) ou pelo tao reclamado impeachment?

População pobre e faminta garimpa ossos descartados para se alimentar.

População pobre e faminta garimpa ossos descartados para se alimentar.

Simplesmente nada, não falta NADA!

Leia mais…

Share